Mãe há só uma! Prepare-se para a invasão do Dia da Mãe.

O amor que sentimos pelas nossas mães não tem comparação — e gostamos de o demonstrar com as nossas carteiras. À medida que nos aproximamos do Dia da Mãe, que é celebrado um pouco por todo o mundo, as previsões são positivas para as lojas e centros comerciais.

Apesar do Dia da Mãe não ter uma data universal (no Reino Unido, este ano, celebra-se no início de Março, mas na maioria dos países a data escolhida é o primeiro ou o segundo domingo de Maio), existe uma tendência crescente na afluência de consumidores associada a este evento.

Em particular, o sábado anterior ao Dia da Mãe, regista um aumento substancial da afluência. No ano passado, o maior aumento sentiu-se em França, onde o tráfego no retalho cresceu +21% no comparativo anual. Em países como a Alemanha, Irlanda e Reino Unido, o crescimento também atingiu os dois dígitos e mesmo alguns países com um desempenho normalmente mais reduzido, como é o caso da Suíça, Portugal e Itália, sentiu-se igualmente um crescimento na ordem dos 2%, comparativamente a um sábado normal.

Para além do aumento do tráfego no retalho, o Dia da Mãe por si só, já propicia um aumento na afluência dos espaços comerciais. Sabemos, no entanto, que as oportunidades variam de país para país e para podermos compreender melhor o impacto deste dia para os retalhistas e centros comerciais, será necessário analisar cada mercado individualmente.

Austrália

À parte a quebra sentida em 2013, em que a atividade dos consumidores decresceu -10% no comparativo anual, a afluência no sector retalhista australiano, no Dia da Mãe, tem vindo a crescer de forma sustentável nos últimos anos. Não só foi registada uma recuperação de +6% nas lojas de comércio a retalho em 2014, como no ano passado se registou um novo crescimento de 10% no índice de afluência.

China

Apesar de ser uma tradição ocidental, o Dia da Mãe foi assimilado igualmente pela cultura chinesa, pois reflete os valores nacionais de respeito pelas gerações mais antigas. O impacto do evento é, no entanto, sentido com maior antecipação do que em outros mercados — no ano passado a afluência cresceu +12% no comparativo anual, duas semanas antes. No próprio dia, o tráfego no retalho registou igualmente um crescimento de +3,1%.

França

A França apresenta uma história divergente. No ano passado, o índice de afluência geral apresentou um crescimento de +17% e, como foi oportunamente referido, foi a região com maior sucesso em termos do tráfego nas lojas físicas, no sábado anterior ao Dia da Mãe. No entanto, esta atividade não se refletiu nos centros comerciais, uma vez que a afluência caiu -23% comparativamente a 2014.

Alemanha

Apesar do setor retalhista alemão estar a seguir a tendência geral de subida, infelizmente a afluência no Dia da Mãe tem permanecido negativa nos últimos anos. Em 2014, no comparativo anual, o tráfego de consumidores caiu -14%, tendo registado uma melhoria em 2015, com uma quebra somente de -8%.

Índia

Apesar da maioria da população indiana não ter presente nos seus hábitos a comemoração do Dia da Mãe, o evento tem vindo a conquistar alguma popularidade, em especial nos principais centros urbanos deste país. Em resultado disso, o índice de afluência, no comparativo anual, tem vindo a crescer. No Dia da Mãe o tráfego no retalho cresceu +6% em 2014 e novamente +11% em 2015.

Espanha e Portugal

Ambos os países têm um forte sentido de família e isto foi evidente nos dados da afluência recolhidos no ano passado. Em Portugal, a atividade no retalho cresceu +10%, sendo composta predominantemente por consumidores adultos, pois as crianças são motivadas a produzir os seus próprios presentes na escola.

Em Espanha, o tráfego no retalho cresceu de forma acentuada, registando +23%. Em parte, este sucesso deve-se ao facto de que as mães espanholas recebem presentes de todos os membros da família e o dia é comemorado em grupo.

Reino Unido e Irlanda

Os retalhistas e centros comerciais do Reino Unido têm vindo a assistir a uma reviravolta no que diz respeito ao domingo em que se celebra o Dia da Mãe. Entre 2011 e 2013, a afluência no próprio dia decresceu drasticamente. Só em 2014 a tendência negativa acabou por se dissipar, tendo-se registado um valor de +19% no tráfego ligado ao retalho.

E em 2015, o crescimento continuou, com um aumento adicional de 7%, deitando por terra uma pesquisa levada a cabo pela Bing Ads, que previa para 2015 um aumento acentuado do comércio eletrónico, afetando negativamente as lojas físicas.

A vizinha Irlanda não mostrou quaisquer tendências relevantes, tendo-se registado uma afluência mais elevada nos centros comerciais, com um crescimento de +9% em 2015.

Para saber em que medida o Dia da Mãe influencia o tráfego de consumidores, visite o nosso centro de tendências online – atualizado mensalmente.

Share:
0 Comments

Comments are closed

Back