Analítica de dados para centros comerciais – vantagens da contagem de pessoas

Artigo
Por ShopperTrak on 28-11-18

Os centros comerciais europeus proporcionam alegria a milhões de consumidores. Seja em destinos aventureiros como Puerto Venecia em Espanha ou ambientes mais exóticos como Kanyon em Istambul, as compras e a socialização andam sempre de mãos dadas.

No entanto, este é um mercado competitivo e os proprietários dos centros comerciais sabem que devem elevar a fasquia constantemente para reter o tráfego de consumidores, vital à sua atividade. A tendência atual para remodelar os centros comerciais na Europa é um bónus para os operadores, que dependem muito do ambiente e boas vibrações do seu centro comercial para atrair o número de visitantes necessário à sua atividade.

Preparar as fundações para o futuro

Melhorias estéticas, novas lojas âncora como Apple, TK Maxx ou H&M, combinações de lojas inovadoras e campanhas de marketing multicanal, todas têm como objetivo aumentar o tráfego e o tempo de permanência dos consumidores nos centros comerciais modernos. Estas melhorias fundamentais estão a ser acompanhadas de investimentos em tecnologia de contagem de pessoas e soluções de analítica de tráfego por parte dos proprietários. Isto porque os proprietários querem avaliar o retorno do investimento dos novos conceitos e, por isso, estão motivados para medir e registar o tráfego, o que por sua vez, lhes permite estruturar os arrendamentos em conformidade e proteger os seus lucros.

Benefícios dos dados de tráfego por unidade

Com esta aproximação baseada em dados, os proprietários estão a assumir a responsabilidade pela geração de tráfego, registando os objetivos atingidos e construindo casos de sucesso, sempre que possível. A ShopperTrak está a desenvolver um extenso trabalho com os proprietários dos centros comerciais que querem capturar dados, não apenas no seu perímetro (dados que são recolhidos no centro comercial) mas também ao nível das “zonas” (dados recolhidos em termos do fluxo de certas secções do centro comercial) e ao nível das unidades de retalho (revelando o desempenho de tráfego nas lojas individuais).

Os proprietários podem decompor os dados de tráfego, o que lhes permite beneficiar de muitas formas. De seguida alguns exemplos de como os dados de tráfego a nível das lojas, pode ser utilizado como uma vantagem comercial:

  1. Os gestores do centro comercial podem tomar decisões sobre a composição da oferta de lojas, configuração e ampliações;
  2. Os proprietários podem estruturar as rendas por zonas, em que as localizações com maior tráfego pagam rendas mais elevadas;
  3. As negociações das rendas serão mais vantajosas se os potenciais operadores tiverem uma perspectiva da afluência que podem esperar – diária, semanal e anual;
  4. Os proprietários podem identificar quais as unidades não estão a obter um bom desempenho e prestar-lhes assistência, individualmente, quando estes mais precisam;
  5. Os dados de tráfego específicos de um setor podem ajudar os proprietários a planear as estratégias de arrendamento e de marketing, especificamente para eletrodomésticos, calçado, saúde e bem-estar, entre outras;
  6. As rendas dos centros comerciais podem ser justificadas com as inovações e campanhas de marketing, se estas tiverem sucesso e atraírem consumidores;
  7. O fluxo de consumidores de um centro comercial pode ser combinado com dados demográficos, meteorologia, dados de transações e informação sobre poder de compra, dando aos centros comerciais e respetivos retalhistas, mais informação a nível estratégico;
  8. Os gestores dos centros comerciais podem enviar relatórios regulares aos operadores (semanais ou diários), com informação sobre as horas de pico e grandes quantidades de tráfego, devendo estes revelar maior desempenho por estarem na posse desta informação.

Quantos mais dados estiverem disponíveis, melhor preparadas estarão todas as partes, sendo esta a razão para os proprietários e retalhistas estarem a considerar a partilha de dados entre todos. O interesse global dos dados sustenta esta tendência, havendo um consenso relativamente ao facto de que quanto mais sofisticação existir nesta estratégia baseada nos dados, mais probabilidades existe do retalho físico sobreviver e prosperar.

Contate-nos hoje mesmo para assistir a uma demonstração sobre a forma como a analítica baseada na contagem de pessoas pode ajudar a melhorar os modelos de arrendamento e aumentar os lucros dos seus centros comerciais.

Pronto para conduzir o seu negócio ao próximo nível?

Faça clique em baixo para começar

Comece hoje mesmo
Leia mais publicações de ShopperTrak