Lojas de telemóveis: Ative o interesse dos consumidores com a analítica de tráfego

Artigo
Por ShopperTrak on 16-01-19

As lojas de telemóveis europeias encaram todos os dias consumidores com novas expetativas, por isso, procuram continuamente ideias inovadoras para atrair mais tráfego e gerar mais conversões nas suas lojas físicas.

Na Europa, as perspetivas para os próximos anos são muito positivas no que respeita às vendas de telemóveis. A receita do setor das lojas de dispositivos móveis atingiu uns expressivos 74,1 mil milhões de Euros em 2018 – como mostra a Statista – e o mercado deve crescer anualmente cerca de 1,7% entre 2018 e 2021, à medida que cada vez mais europeus investem em smartphones apetrechados com as tecnologias mais recentes. Estima-se que a receita gerada por pessoa seja na ordem dos 141 Euros em 2018, o que faz desta categoria uma das que possui maior índice de consumo a nível do retalho na Europa o que de uma forma geral contribui para gerar uma relação duradoura dos consumidores com a sua loja favorita de dispositivos móveis.

Para os grupos de lojas, o grande desafio é atrair os primeiros clientes e efetuar conversões por forma a assegurar estas relações de longa duração com os consumidores. E como todos sabemos, este mercado é muito atrativo.

Porque razão as lojas físicas ultrapassam as lojas online na atração de clientes

Muitos europeus optam por pesquisar e comprar telemóveis online, mas as lojas físicas têm a enorme vantagem de oferecer um serviço ao cliente e uma ajuda especializada para ajudar os consumidores mais confusos com toda a complexidade dos telemóveis e ofertas dos tarifários disponíveis.

Claro que os consumidores mais tradicionais gostam de trocar ideias com os especialistas em tecnologia que podem ser encontrados em lojas como a O2, SFR, Vodafone, EE e Carphone Warehouse. Estas marcas aperfeiçoaram as suas técnicas comerciais e oferecem visitas agendadas ou mesmo a possibilidade de entrar, sentar e conversar com um perito em tecnologias. Ao despenderem tempo para aprender a configurar e utilizar a mais recente tecnologia em termos de telemóveis, aplicações, câmaras fotográficas e armazenamento na nuvem, os consumidores estão a desenvolver uma relação com o retalhista que escolheram e isto, pode potenciar uma fidelização e mais visitas no futuro.

A contagem de tráfego está a auxiliar os retalhistas no setor das comunicações a registar o comportamento dos consumidores e, com a analítica de tráfego, existem enormes oportunidades para construir sucessos e melhorar o desempenho de cada loja, individualmente.

Todas as idades podem beneficiar dos especialistas das lojas

Os novos conceitos interativos adotados pelas lojas europeias de telemóveis estão a atrair não só os consumidores com mais de 30 anos, mas também da geração do milénio e da geração Z. As lojas da Apple, de Paris a Düsseldorf são um polo de atração para os consumidores obcecados por tecnologia de todas as idades, com o conceito “Genious Bar” já implementado na cultura de retalho da Apple. Este conceito está a definir um padrão em termos do serviço ao consumidor em todo o setor.

Nos últimos anos, o operador móvel O2 tem aberto novas lojas — por exemplo no Reino Unido — as quais têm como objetivo afastarem-se das lojas de telecomunicações tradicionais, disponibilizarem experiências mais interativas, formarem os clientes e desenvolverem um espírito de comunidade.

A loja O2 de Manchester, possui uma área três vezes superior a uma loja O2 normal, incluindo zonas de lazer e ilhas onde os consumidores podem testar as mais recentes novidades tecnológicas. A vibração transmitida pelo design interior é descrita pela O2 como “relaxante, ágil e social”, rompendo com a imagem associada às lojas tradicionais de telemóveis. O primeiro objetivo é aumentar o tempo de permanência na loja, seguido de objetivos mais comerciais como o aumento das taxas de conversão e a criação de uma fidelização duradoura.

Inspiração na oferta em paralelo com os artigos

A O2 encoraja os consumidores a permanecer por mais tempo, oferecendo “zonas interativas de inspiração” que permitem testar novas tecnologias como a realidade virtual e dispositivos conectáveis para o lar, lado a lado com os tradicionais telefones móveis. Numa área contígua oferecem-se bebidas quentes e carregamento sem fios.

Os eventos também fazem parte da estratégia da O2 para construir relações holísticas com os consumidores. As lojas que fazem parte da rede europeia, apresentam seminários sobre tecnologia que cobrem tópicos mais práticos ou mais específicos, tais como manter as crianças salvaguardadas dos perigos online ou como utilizar a tecnologia para reduzir peso e ser mais saudável.

Zonas de experimentação e centros de reparações

Outros grupos europeus de tecnologia, estão a inovar as suas lojas físicas de formas semelhantes, oferecendo serviços adicionais e várias categorias de produtos, procurando incentivar os consumidores a regressarem, permanecerem por mais tempo e realizarem conversões. Em Novembro de 2018, a SFR anunciou que 18 das suas lojas em França irão usar a realidade virtual para apresentar os seus conteúdos mais recentes para televisão, tais como a RMC Sport e o Discovery. Também é de destacar a loja baseada em tecnologia do operador móvel e retalhista Vodafone na Oxford Street, em Londres.

Nestas três lojas, os consumidores podem encontrar zonas para experimentação, muita hospitalidade, zonas de trabalho para consumidores empresariais e zonas de entrega “click-and-collect”. Também existe uma zona conectada com um ambiente mais acolhedor para experimentar dispositivos IoT (Internet of Things) e um centro de reparações com técnicos especializados mesmo à mão.

Registe e compare o desempenho de acordo com o tipo de loja

Como pode a analítica de tráfego ajudar as lojas de telecomunicações, no seu processo evolutivo, a irem de encontro às expetativas dos consumidores e a enfrentarem a concorrência? Os dados de tráfego revelam que inovações apresentam um maior sucesso e atraem um maior índice de tráfego, maiores conversões e maiores valores de transação.

É possível segmentar grupos de lojas, para que na sede se possa identificar o que funciona melhor em certos tipos de lojas. Por exemplo, investir em serviços de valor acrescentado como seminários pode valer a pena em lojas de cidade onde existe um nível de tráfego elevado, mas não é adequado a lojas que se situam em locais menos povoados.

Lojas com tráfego elevado e baixo nível de conversões podem ser reforçadas com ações de marketing adicionais e com um melhor planeamento dos recursos humanos, procurando gerar uma campanha interna de melhoria das conversões.

Otimize o trabalho nas lojas para tentar capitalizar o tempo de permanência

Outra grande vantagem da analítica de tráfego no setor do retalho é a otimização dos recursos humanos. Sempre que existem serviços personalizados de apoio ao cliente, eventos em loja e quando a interação com os consumidores é vital para o sucesso a longo prazo, saber com antecedência quando vão ocorrer picos e quebras de tráfego é imprescindível para elaborar as escalas de trabalho.

Os gestores de loja têm a vantagem de saber quando vão ocorrer as horas de pico – maior movimento em loja – e podem assegurar que os elementos com melhor desempenho ou maior conhecimento dos produtos estão escalados nesses períodos. Também podem planear a formação de base dos novos elementos da equipa nas horas de menor tráfego e garantir que todas as oportunidades nos picos de tráfego são aproveitadas.

Escalar o pessoal de acordo com as tendências de tráfego também permite que as equipas deem o seu melhor nos diversos períodos de pico que ocorrem ao longo do ano. Claro que é no 4º trimestre que existem os picos mais elevados, mas também é nesta época do ano que é necessário contratar pessoal adicional, formá-lo e escalá-lo para dar assistência aos consumidores.

Medir e crescer com os sucessos de marketing

Os custos de marketing são famosamente extravagantes na indústria dos dispositivos móveis e a analítica de tráfego pode medir o desempenho das campanhas, em termos da capacidade de atração de consumidores. Se as montras e a sinalética estão a promover um novo produto, serviço ou promoção especial, que crescimento de tráfego gerou? Como é que isto difere com a localização da loja? Verificando-se um aumento de tráfego, quantos destes consumidores realmente geraram uma conversão?

Há uma forte pressão para que os retalhistas ligados ao comércio de dispositivos móveis apresentem experiências inovadoras, diferentes e interativas, para além de um serviço de excelência. Mas, não só precisam de o fazer com competência, como precisam urgentemente de compreender que impacto estão estas inovações e investimentos no desempenho comercial das suas lojas.

A ShopperTrak pode ajudar estes retalhistas, disponibilizando um serviço de consultoria especializado em transformar dados de tráfego em informação altamente prática, utilizando a nossa ferramenta de analítica. Com uma vasta experiência de apoio ao retalho, na identificação de tendências comportamentais de consumidores e na conversão de oportunidades baseadas nos dados de tráfego, estamos bem preparados para ajudar os retalhistas no setor das comunicações móveis a enfrentarem um futuro cada vez mais competitivo.

Agende uma demonstração e descubra como a analítica de tráfego pode fazer disparar o desempenho da sua loja de telecomunicações.

Leia mais publicações de ShopperTrak