Os centros comerciais ganham com os dados de tráfego

O setor europeu dos centros comerciais está a celebrar um novo marco. O Westfield London acabou de ser consagrado o maior centro comercial da Europa, tendo cortado a fita após a primeira fase das suas requintadas obras de ampliação, no valor de 600 milhões de Libras. Quando todas as fases estiverem completas, o centro cobrirá uma extensão de 800 mil metros quadrados – ultrapassando os atuais gigantes Aviapark de Moscovo e o Westgate de Zagreb. Abraçando o conceito de “retalho experimental”, esta nova expansão do Westfield London permitirá que este se torne “um local de compras, diversão e aprendizagem”, escreve a revista Retail Week.

Este tipo de ampliações está em curso um pouco por toda a Europa e resulta da vontade de um mercado de centros comerciais, experiente, que procura dar resposta à constante evolução das necessidades e expetativas dos consumidores. Os proprietários estão a investir em melhorias e renovações para manter o interesse dos consumidores nas compras físicas, oferecendo mais áreas sociais ligadas à restauração, eventos e atividades de entretenimento, em complemento ao retalho tradicional. Estão a ser adicionados elementos ligados à diversão, tais como campos de golfe interiores, cinemas e paredes de escalada. Em simultâneo, cria-se mais espaço para incluir um novo mix de lojas pelo qual se dispersará a multidão de visitantes. Por exemplo, o Westfield London pode agora incluir novas lojas ligadas à moda e a recente e inovadora loja departamental John Lewis. Também a Westfield Square – a nova praça de eventos públicos rodeada por lojas, restaurantes e espaços de lazer – vai abrir ao público já este verão.

As decisões baseadas em informações estratégicas estão a redefinir os centros comerciais

Adaptar ou morrer é o mantra. Para permanecerem relevantes e competitivos, a maioria dos modernos centros comerciais europeus reconhece a importância vital que os dados de tráfego possuem na elaboração de uma estratégia de arrendamento e no alinhamento das campanhas de marketing com as necessidades dos consumidores, onde têm obtido resultados realmente importantes. Existe um apetite voraz por dados que provem se os investimentos estão ou não a gerar retorno. Com a tecnologia de contagem de tráfego e os sistemas de analítica em funcionamento, os proprietários podem medir, analisar e reagir a ocorrências relevantes apresentadas pelos dados e, ainda, tomar decisões sustentadas em informação precisa e clara sobre o que realmente se passa na superfície comercial.

Este é um tema chave explorado no novo relatório da ShopperTrak Dados de tráfego dos Centros Comerciais obtêm sucesso crescente na Europa. Este relatório demonstra como os dados de tráfego podem ser usados de inúmeras formas para aumentar as receitas dos proprietários, colocando-os na melhor posição possível em termos do suporte aos seus operadores. 

De seguida apresentamos-lhe um resumo sobre os tipos de dados estratégicos que podem beneficiar os centros comerciais, tal como realçado no relatório:

Como é que os dados de tráfego aumentam a rentabilidade dos centros comerciais:

  • Os gestores dos centros comerciais e respetivos operadores podem preparar-se antecipadamente para os picos de tráfego e concentrarem-se no aumento das conversões nessas datas.
  • Os operadores podem ser notificados sobre os picos diários e semanais, ou ainda, sobre concentrações de consumidores originadas pelos eventos do centro comercial.
  • Os centros comerciais podem ser redesenhados para maximizar zonas de grande afluência de tráfego, assim como o seu fluxo, garantindo que a configuração e o mix de lojas é o mais lucrativo possível.
  • As iniciativas de marketing podem ser afinadas e alinhadas com as tendências de tráfego ao longo do tempo.
  • Os proprietários podem sustentar o valor das rendas com base nos dados de tráfego e podem provar aos operadores que as remodelações estão a gerar resultados sob a forma de aumento de tráfego.
  • Os retalhistas podem tomar decisões baseadas em dados demográficos e de tráfego disponibilizados pelo proprietário do centro comercial.
  • As decisões relativamente a remodelações e ampliações – por exemplo uma nova área para refeições – pode ser baseada na analítica de dados e os arrendamentos podem ser adaptados em conformidade.
  • Os retalhistas estarão mais recetivos a um compromisso de longo prazo se os proprietários estiverem aptos a mostrar os valores do tráfego atuais e projeções para o futuro.

Os dados de tráfego validam os níveis das rendas

Os dados de tráfego desempenham claramente um papel vital no planeamento dos centros comerciais e na sua gestão corrente. Por exemplo, os proprietários podem demonstrar que as projeções de tráfego são efetivamente poderosas – fornecendo-as como um serviço aos seus operadores e usando-as como ferramenta no processo de negociação das suas unidades.

Steve Richardson, o Diretor Global e Regional para as Contas Estratégicas da ShopperTrak no Reino Unido e Emiratos Árabes Unidos, comenta no relatório: “Os proprietários estão a reunir muito mais dados do que no passado. Querem soluções que os ajudem a selecionar os operadores certos e que demonstrem aos interessados que tipo de retorno podem esperar. Estes dados estratégicos também podem ajudá-los a estruturar e justificar as rendas”.

O tempo dirá se os milhões gastos no Westfield London trarão a rentabilidade esperada a longo prazo para o Westfield Group, o seu proprietário e para o conjunto de lojas criteriosamente selecionado. Idealmente, quando os investimentos são efetuados em qualquer centro comercial, os consumidores amontoam-se, a afluência às lojas aumenta e os tempos médios de permanência disparam. O resultado passa por operadores muito satisfeitos e pelos gestores com uma nova história de sucesso para contar aos acionistas. Longe de se desvanecerem, os centros comerciais europeus podem continuar com boas taxas de ocupação e com os corredores a fervilharem de atividade à medida que os anos passam, desde que sejam tomadas as decisões certas, se efetuem as adaptações necessárias e se introduzam novos conceitos bem geridos e acarinhados.

Através das fundações sólidas da analítica de dados, é possível construir uma estratégia vencedora e sobreviver. O terreno pantanoso da conjetura e do instinto deve pertencer ao passado.

Contate-nos hoje mesmo para assistir a uma demonstração sobre a forma como os dados de tráfego podem ajudar a redefinir os modelos de arrendamento e aumentar a rentabilidade dos seus centros comerciais.

Descarregue o relatório Dados de tráfego dos Centros Comerciais obtêm sucesso crescente na Europa, para ver como a recolha de dados de tráfego de consumidores pode ajudar a tornar os centros comerciais mais rentáveis.

Share:
0 Comments

Comments are closed

Back